Fabricantes, Notícias

Os planos da SKF na rede

A transformação digital no setor de peças tem entusiasmado a companhia no Brasil. O portal Compreskf.com.br tem aberto novos caminhos no cenário eletrônico e gerado mais negócios – inclusive para seus distribuidores. Confira as estratégias da marca para crescer ainda mais na web

Em abril de 2017, durante a Automec, o coordenador de marketing da SKF no Brasil, Fábio Fabri, acreditava que o portal Compreskf.com.br, lançado naquela ocasião, traria bons resultados a curto prazo.

Hoje, um ano e poucos meses depois, o balanço tem correspondido às expectativas do profissional. “A avaliação desse primeiro ano é bem positiva. O Compreskf.com.br tem incentivado varejistas e distribuidores parceiros a entrarem no universo virtual de vendas, que é a tendência do varejo”, diz Fabri.

Atualmente, mais de 150 varejistas comercializam seus estoques através do portal e esse número cresce a cada mês. O primeiro ano no universo digital engordou a receita da companhia no Brasil, que fechou o ano com R$ 500 mil a mais.

O engajamento virtual tem feito a empresa aderir novas soluções, também desenvolvidas pelo Canal da Peça. De acordo com Josué Cardoso, coordenador de e-commerce da SKF no Brasil, a ideia é que a distribuição compartilhe, entre si, seu estoque. O modelo B2B (Business to Business) será o maior beneficiado com essa estratégia.

+ Leia também: Vendas mais aceleradas

“Em breve, os estoques de distribuidores da mesma região estarão conectados. Dessa maneira, o consumidor final sempre será atendido e os distribuidores não vão perder vendas. A ideia é que não falte peças no mercado”, comenta Cardoso, que adianta outra novidade. “Os novos planos também incluem a comercialização de outros produtos que tenham correlação com os da SKF, assim, atenderemos todos do setor”.

Na era digital

O Compreskf.com.br nasceu da necessidade de tornar os setores automotivo e industrial mais digitalizados, através de catálogo eletrônico, aplicativo e estoques conectados. Na prática, o varejista ou distribuidor que expõe seus produtos no portal, através de sua própria loja virtual desenvolvida pelo Canal da Peça, automaticamente já tem acesso às informações técnicas, modo de instalação e fotos oficiais dos produtos, que ficam disponíveis na página do lojista.

Quem se associa à plataforma tem a vantagem de ter uma página virtual de maneira simplificada, sem ter de contratar uma equipe especializada, garantindo dados e informações corretas dos produtos, já que eles vêm diretamente da indústria. Além disso, tem exposição mais abrangente, pois estará em um grande portal, acessado por todas as regiões do Brasil.

Confira o passo a passo para criar uma loja na web

Como forma de incentivo, a SKF promove, frequentemente, ações como cupons de desconto e frete grátis. Quem vende pode oferecer esses benefícios aos seus clientes e, também, para uso próprio em compras dentro da plataforma.

“Toda campanha é um investimento para trazermos mais clientes para o nosso portal, mas também é uma forma da gente incentivar os lojistas a realizarem mais vendas”, diz. “A SKF do Brasil está subsidiando essas ações, logo, o varejista não perde seu lucro, já que receberá o valor integralmente”, complementa Josué Cardoso.
O Compreskf.com.br conecta o consumidor final com as redes de distribuição e varejo. Através de um clique, pelo computador ou smartphone, o cliente tem acesso ao portfólio completo da marca. Mais de 30 mil ofertas estão disponíveis no portal.

+ SKF entra na onda digital

“Nossa intenção não é vender diretamente ao consumidor e, sim, promover nossa cadeia de distribuição. Nesse modelo, a indústria, o varejo e os distribuidores trabalham em conjunto para atingir o público final”, diz Cardoso. “Estar na internet como marketplace é um diferencial competitivo”.

Distribuição mais virtual

Redes de distribuição, como a tradicional Abecom, também têm aprovado o comércio na web. “A SKF do Brasil, nossa fornecedora e parceira, foi a maior incentivadora para que nós começássemos a vender pela internet. Aceitamos e hoje estamos na plataforma do Canal da Peça”, revela Meire Garcia Vaz, gerente administrativa da Abecom.

+ Veja mais: Uma vitrine para todos

Com a loja na rede, a empresa comercializa para todo o território nacional, atendendo tanto o varejo como o consumidor final. Para a distribuidora, o comércio eletrônico promete alavancar ainda mais as vendas.

“Estar visível na página de um grande fabricante nos ajuda a crescer na internet. O consumidor quer ter confiança em comprar online, por isso, aparecer no portal de uma indústria com um nome forte no mercado, gera mais vendas”, diz Vaz.

A vez dos afiliados

Pessoas físicas, sem estoque e CNPJ, também podem lucrar com o portal da SKF. Há três meses, a companhia incorporou um modelo de negócio para quem quer garantir uma renda extra no fim do mês.

“O Programa de Afiliado é para qualquer pessoa que queira vender produtos SKF, dentro do nosso portal. O vendedor seleciona os itens que quer comercializar, baseado nos estoques de distribuidores e lojistas, e faz sua própria divulgação”, explica Cardoso.

“A cada venda, o afiliado ganha 5% de comissão. O processo de entrega fica por conta do varejista ou distribuidor. O associado é responsável apenas pela divulgação e concretização dos pedidos”.

Josué Cardoso, da SKF. Foto: Adriano Stofaleti

Josué Cardoso, da SKF. Foto: Adriano Stofaleti


Pelo jeito, o modelo tem agradado os internautas: já são mais de 280 afiliados em todo o Brasil. Esse programa, inclusive, é bem conhecido por aqui e em outros países. De acordo com uma pesquisa da empresa americana Forrester Consulting, os investimentos em marketing de afiliação, só nos Estados Unidos, movimentam mais de US$ 4,7 bilhões. A previsão é que, até 2020, chegue aos US$ 6,8 bilhões.

No Brasil, o número de empreendedores digitais também é surpreendente. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Marketing de Afiliação (IBMAfiliados), entre 2013 e 2015, cerca de 20 mil usuários ingressaram mensalmente em um programa de afiliação.

A flexibilidade e a facilidade do comércio eletrônico têm levado para a internet até quem não atua no varejo. É o caso do analista Renatto Moreira. “Divulgo os produtos através das redes sociais e e-mail marketing. Essas duas linhas de comunicação têm dado certo”, diz ele, que aposta no setor de peças online. “A plataforma veio no momento certo e, sem dúvida, tem tudo para transformar este mercado, que tende a crescer cada vez mais”.

O caminho é digital

A SKF no Brasil está cada vez mais inserida no cenário eletrônico. E ainda há muito mais por vir. “Estamos nos antecipando para o futuro. Acreditamos que a tendência do setor é ficar cada vez mais digital. Nossa entrada no cenário eletrônico também tem nos ajudado a criar um vínculo maior com o cliente final e, consequentemente, gerado mais business para a empresa e para nossos distribuidores. Continuaremos investindo em novas soluções”, acrescenta Cardoso.

Com o mesmo otimismo do lançamento do portal, na Automec, a SKF quer ir além e mostrar para outros mercados a importância da digitalização.

“Estamos sempre atentos às mudanças no comportamento do consumidor e para onde o setor está caminhando. Por oferecer soluções que beneficiam todos da cadeia de peças, também estudamos levá-las para a América Latina”, revela Cardoso. No universo digital, a SKF quer voar mais alto.

Receba grátis por e-mail

Comentários

Author


Avatar