Notícias

Novas estratégias no varejo

A autopeças Predileta, uma das mais conhecidas do Grajaú, quer levar para a internet toda sua tradição. Para isso, o Canal da Peça tem ajudado a alavancar as vendas no mercado eletrônico. Saiba quais são os planos da loja para ganhar mais notoriedade online

No distrito mais populoso de São Paulo, o Grajaú, na zona sul da capital, as lojas de autopeças parecem não ter fim. Ao passar pela avenida Dona Belmira Marin, a mais movimentada da região, contamos sete.

“Tem mais lá pra frente”, avisa Marcelo Martins, que também tem uma na mesma avenida. Sócio-proprietário da Predileta, uma das mais antigas do bairro, ela está há 25 anos no mesmo endereço. A concorrência não assusta o comerciante. “O que surpreende é como o varejo, em pouco tempo, está mudando”.

Desde os 15 anos de idade, Marcelo ajuda o pai, seu Renê Martins, na autopeças. “Comecei no estoque e não parei mais. Analisando todos esses anos, as mudanças são visíveis. Tanto no comportamento do consumidor como na quantidade de peças, que só aumenta”.

Apesar das transformações no varejo, a Predileta só foi se dar conta que estava ficando para trás, em relação à concorrência, no ano passado. “Sentimos a necessidade de estar também no comércio eletrônico. Mas ainda estamos meio perdidos”, assume Martins.

Estoque na rede

O portfólio da Predileta já soma 25 mil itens. A quantidade, no entanto, desanimou o comerciante na web. “Se eu fosse criar uma loja do zero, seria um trabalho enorme. Para vender em outras plataformas, tenho que subir item por item, tirar foto da peça e elaborar as descrições”, comenta.

“O Canal da Peça foi o único meio que achamos viável, pois não precisamos perder tempo tirando foto e passando o modo de aplicação. A plataforma já tem esses dados”, diz.

Há seis meses com a gente, Marcelo assume que poderia vender mais, caso subisse todas suas peças e tivesse um funcionário focado na loja virtual. “Infelizmente, não tenho uma pessoa para trabalhar apenas com as vendas online. Mas, vendo o sucesso de muitos varejistas e sabendo que eu poderia vender muito mais, vou colocar uma pessoa só para isso”, afirma.

+ Leia mais: Vendas mais aceleradas

De acordo com o comerciante, a loja virtual não irá disputar com as vendas no balcão. Elas vão se complementar. “Já li muitos varejistas afirmarem que as vendas online já superaram as do balcão. No meu caso, como tenho três pontos físicos, acho difícil. No entanto, o e-commerce poderá ajudar – e já está contribuindo – com os produtos de baixo giro”, diz.

“A internet é uma ótima solução para aquelas peças que estão paradas há anos. Sempre terá alguém, em algum lugar do Brasil, que vai precisar de um produto que você tem no estoque. Estar na rede nos possibilita ser achado por esses clientes”.

Parceria com mecânicos

O carro-chefe de Martins são as vendas no balcão, fruto de sua parceria com oficinas mecânicas da região. “Nessa unidade, temos mais de 30 cadastradas. Oferecemos 10% de comissão a cada venda, que podem ser acumulados e resgatados em produtos”, explica ele, que tem mais dois pontos, um só para acessórios. “Cerca de 70% do meu faturamento vêm das oficinas”.

Pela parceria com as oficinas mecânicas, Martins, muitas vezes, tem de correr atrás dos produtos que não têm no estoque. “Quando não tenho um item, faço questão de ir atrás com os distribuidores. Não perco clientes. É um dos meus diferenciais”, diz.

Marcelo Martins, da Predileta. Foto: Adriano Stofaleti


Na matriz, dez funcionários compõem o quadro da Predileta, sendo um motorista e três motoqueiros, que fazem, por dia, cerca de 40 entregas ao todo. “Oferecer diferentes tipos de entrega beneficia nossos clientes. Os mecânicos não têm tempo de ir à loja, então, temos que criar alternativas para facilitar o trabalho”.

A Predileta no Canal da Peça

A rotina de Marcelo na loja física é intensa. Ele chega todos os dias às 8h e saí às 18h.  À noite, quando chega em casa, ele cuida das vendas da loja no Canal da Peça.

“Quando faço uma venda, automaticamente, chega um e-mail para mim. Geralmente, faço o envio no dia seguinte, pela manhã. Abro meu painel de controle, checo o item e já separo. Imprimo a etiqueta, que vem com todos os dados do comprador, faço a embalagem e entrego para um dos motoqueiros levar até os Correios. É bom para mim e para o cliente, que consegue rastrear o pedido”, afirma.

 Quer vender online também? Veja como é fácil!

“Tenho feito muitas vendas para fora de São Paulo, compras grandes. Pelo menos, seis vezes na semana vendo no Canal da Peça”, revela. O comerciante atualiza a Planilha de Estoque semanalmente. Para ele, o processo é fácil. “Coloco o código do item no Excel e envio para o consultor da plataforma. Poucos minutos depois, minha loja está atualizada com todos os itens, aplicações e descrições”.  E falando em consultor, para Martins, nosso suporte é o grande diferencial.

“Sempre que preciso, sou muito bem atendido. Os consultores me respondem rapidamente quando tenho uma dúvida, seja por telefone ou WhatsApp”, garante Marcelo Martins.
O aplicativo de mensagens instantâneas, aliás, é o principal canal de contato com os clientes. “Ninguém mais telefona, hoje é só pelo WhatsApp. Todo vendedor usa o aplicativo para falar com os compradores. É mais fácil, pois eles mandam as fotos do produto, e mais rápido”, aprova.

E a personalização da loja online? Marcelo diz que também não teve problemas. “Não faço, atualmente, divulgação na internet. Então, pelo menos, minha loja tem que estar legal na rede. Os consultores vieram aqui me ensinar. É fácil personalizar as cores e os banners. Podemos alterá-los quando quiser”.

Marcelo também já chegou a vender através de uma conhecida plataforma, mas sua experiência não foi das melhores. “Achei muito mercenária e, quando mais precisei, não consegui falar com ninguém lá. Simplesmente, não existe suporte. Muito diferente do Canal da Peça”, compara.

Cupons de desconto e frete grátis

Por ser membro do Clube do Canal da Peça, Marcelo pode oferecer aos seus clientes benefícios como Cupons de desconto e frete grátis, disponibilizados regularmente pelas indústrias que têm parceria com a gente.

+ Saiba mais sobre nossos tipos de entrega 

Entre elas, SKF, Nakata, Fras-le e Delphi. “Tenho vendido muitos produtos da Sachs, LuK e Nakata. Acredito que esses benefícios nos ajudam a conquistar mais clientes”, diz Martins. “Além disso, também tenho colocado um preço bem competitivo para alavancar as vendas”.

Marcelo Gouveia, funcionário da Predileta, acredita que o Canal da Peça oferece oportunidade para todos os varejistas que querem garantir um lugar no concorrido cenário virtual. “A plataforma tem tudo para crescer ainda mais e ajudar o pequeno e médio varejista a ter sucesso em suas operações na rede. Além disso, é uma ferramenta fácil de mexer. Não tem complicação”, comenta.

O brasileiro no e-commerce

O consumo pela internet no Brasil tem acelerado. De acordo com o relatório Webshoppers 37, revelado pela Ebit, o comércio eletrônico crescerá 12% este ano, chegando a cifra de R$ 53,5 bilhões.

Marcelo endossa esses números. “Compro muito online, geralmente, roupas, tênis, eletrodomésticos e eletroeletrônicos. Nunca precisei comprar peças, pois tenho relacionamento com várias distribuidoras. Mas, se precisasse, não veria problema”, diz.

Para ele, os consumidores finais de peças, principalmente, têm dado preferência à rede. “Quem pode esperar um pouco mais ou é dono de carro antigo, é ótimo, pois consegue a peça que procura e ainda pesquisa o melhor preço”, opina.

+ Eles também têm poder de compra

É o caso do usuário do Canal da Peça, Ruiter Diniz. Dono de dois carros antigos, um Honda Accord 1996 e um Toyota Camry 1998, ele encontrou o que precisava em um clique. “Como são mais velhos e importados, muitas vezes nem as oficinas mecânicas conseguem alguns itens”, afirma. “A internet é uma excelente solução”.

O varejo de autopeças

A Predileta nasceu por acaso. O pai de Marcelo, seu Renê, sonhava em abrir um açougue, mas, por influência do amigo Joel, foi para o ramo de peças. “A loja foi batizada no início de JR Autopeças, que são as iniciais dos antigos sócios. Um ano depois, cada um foi para um lado. O Joel ainda hoje tem uma loja de autopeças”, revela.

O seu Renê continua firme e forte na Predileta, onde é responsável pelo caixa. “Nós não conseguimos ficar longe dessa área. Gostamos muito do que fazemos”, diz Marcelo. “Acredito que o varejo de autopeças só tende a aumentar, felizmente, devido à quantidade de lançamentos”.

A dúvida é: em pontos físicos ou virtuais? Para Martins, os dois. “Acho que as lojas físicas vão continuar pela necessidade de um pronto atendimento. Talvez o comércio eletrônico se destaque mais, pela sua abrangência. Mas ambos terão vida longa”. Que assim seja.

Receba grátis por e-mail

Comentários

Author


Avatar