Fabricantes, Notícias

A nova aposta da Bosch

Como forma de ampliar sua atuação no setor de autopeças, a gigante alemã lançou um portal que reúne varejistas de todo o Brasil e oficinas mecânicas. Saiba porque a internet é uma das principais estratégias da empresa

O coordenador de trade marketing da divisão Automotive Aftermarket da América Latina da Bosch, Raphael Couto, é um entusiasta das compras virtuais. Há pouco mais de um ano, Couto tem atuado em um plano estratégico para diversificar os canais de venda de autopeças no País: um portal que conecta centenas de varejistas, oficinas mecânicas e consumidores finais.

“A companhia possui inúmeras iniciativas de e-commerce em todo o mundo. No Brasil, a divisão Aftermarket escolheu ser parceira do Canal da Peça devido ao seu know-how técnico e inovador, orientação ao ciente, flexibilidade para soluções customizadas e, sobretudo, pelo espírito empreendedor e visão de médio e longo prazos”, afirma.

A multinacional alemã é a maior fornecedora de peças automotivas do mundo. No Brasil, o Grupo Bosch faturou, em 2016, R$ 4,4 bilhões com a oferta de produtos e serviços automotivos para montadoras e para o mercado de reposição, bem como ferramentas elétricas, sistemas de segurança, termotecnologia, máquinas de embalagem e tecnologias industriais. O faturamento da companhia no mundo, incluindo todos os setores de negócios, foi de € 73,1 bilhões. 

Mas para continuar dominando o mercado, a comunicação é fundamental. “A sociedade está cada vez mais conectada e a busca por informações e conteúdos técnicos acontece via mídias sociais e sites de busca. Precisamos conversar com nossos consumidores e a rede é um excelente meio”, diz.

Um importante canal para se comunicar e, também, para lucrar. De acordo com um estudo feito pela companhia americana CA Technologies, empresas brasileiras que investem em tecnologia podem faturar até 50% mais.

“A transformação digital mudou de uma vez por todas o papel da tecnologia dentro das empresas. Se antes as companhias eram feitas para durar, hoje, são feitas para mudar. A experiência do usuário está no centro desse movimento”, afirma João Fábio Valentin, vice-presidente de DevOps da CA na América Latina.

Atentos às mudanças, varejistas, de todos os portes, têm incluído a tecnologia como plano estratégico para aumentar as vendas. É o caso do diretor financeiro Lucas Borges, da Mecânica Bosch de Feira de Santana, na Bahia. “Tenho estoque que está parado há 30 anos e a internet tem facilitado a comercialização dessas peças”, diz.  “A plataforma é interessante, pois permite a venda de produtos de pouco giro”.

+ Veja como é o Canal da Peça na prática

Para Couto, ter à disposição um bom suporte faz a diferença para todas as pontas do varejo. “A parceria com uma plataforma digital agrega valor para a Bosch e favorece também os demais elos com a cadeia, que envolvem lojistas, mecânicos e consumidores”, afirma.

Leia a entrevista com Raphael Couto:

Canal da Peça: Por que decidiram investir em uma plataforma digital?

Raphael Couto: A Bosch é uma das pioneiras na parceria com a empresa Canal da Peça. O investimento em uma plataforma digital é decorrente de uma análise de tendências de mercado e do forte crescimento das atividades empresariais no ambiente online. Assim, a parceria com o Canal da Peça está diretamente alinhada com a estratégia da divisão de Automotive Aftermarket do grupo de estar inserida no meio virtual com o objetivo de proporcionar ainda mais facilidade e atrativos aos reparadores, lojistas e clientes de todo o País no que diz respeito à disponibilidade de produtos e serviços da companhia.

Canal da Peça: Qual é a expectativa da Bosch no cenário virtual?

Raphael Couto: A presença da marca em uma plataforma digital tem dois objetivos: solucionar de forma ágil e eficiente a identificação dos produtos e serviços da companhia; e apontar a localização das revendas e oficinas parceiras em todo o território nacional. Desta forma, a expectativa de estar presente em um canal virtual de vendas é assegurar um crescimento ainda mais rápido no mercado e, consequentemente, também visa gerar novas demandas para as lojas de autopeças e oficinas que integram nosso sistema, sendo eles Bosch Service e programa de varejo de autopeças InterAção, afinal, é por meio destes parceiros que os produtos são comercializados no Canal da Peça.

Canal da Peça: Quanto as vendas pela internet poderão representar na receita total?

Raphael Couto: Os estudos mais recentes publicados no Brasil, convergem na perspectiva de representatividade de 2-3% do total de comercialização até 2021. Ainda consideramos que o crescimento poderá desenvolver-se em um coeficiente exponencial ainda mais arrojado. No entanto, existem outros indicadores atrativos que suportam o investimento em uma plataforma digital, tais como: brand awareness, geração de leads digitais, business intelligence através de web analytics e, sobretudo, o engajamento digital com o novo e exigente grupo de consumidores que se forma durante a constante transformação digital.

Canal da Peça: Quais são as vantagens em manter relacionamento direto com os varejistas e consumidores através da plataforma?

Raphael Couto: A plataforma digital permite à Bosch oferecer não somente a possibilidade de venda e compra de autopeças, mas também atrelar conteúdo técnico e compartilhar informações relevantes sobre os produtos, serviços e tecnologias, o que reforça o relacionamento da empresa com o mercado de forma geral. Além disso, por meio da plataforma também é possível conhecer melhor o perfil dos clientes e fazer ações digitais direcionadas aos interesses de cada um, ampliando as oportunidades de expandir no mercado. Por fim, também proporcionamos aos nossos parceiros a experiência de estarem inseridos no mundo digital através do suporte da Bosch e dos parceiros de tecnologia a baixo custo e com alta convergência.

Canal da Peça: As campanhas da marca dentro da plataforma têm surpreendido os varejistas. Acredita que benefícios, como cupons de desconto, são boas estratégias de incentivo?

Raphael Couto: Estamos intensificando a presença da marca em outros canais que possibilitam novas oportunidades de negócios, como é o caso da parceria com o Canal da Peça. As campanhas têm surpreendido os nossos parceiros e os resultados são excelentes, pois atingimos com eficiência e assertividade o grande público de profissionais do segmento de reparação automotiva por meio da tecnologia e das estratégias de marketing digital suportadas por nosso parceiro, o Canal da Peça.

Autopeças em um clique: agora, os produtos da Bosch também podem ser adquiridos pela internet



Canal da Peça:
Para comprar online, o consumidor tem que fazer um cadastro. Quais são as possibilidades, hoje e no futuro, que poderão lançar mão por meio dessa lista de contatos?

Raphael Couto: Através do nosso portal, objetivamos potencializar as ações de engajamento entre a nossa marca, produtos e serviços com os nossos clientes por meio de ferramentas e tecnologia que somente o nosso parceiro Canal da Peça oferece no mercado atual.

Canal da Peça: A lista de contatos obtida através do portal também servirá para a divulgação da marca através de e-mail marketing?

Raphael Couto: A Bosch utiliza ferramentas para gerenciar o relacionamento com os clientes sempre prezando pela confidencialidade dos dados. E hoje, diante das modernas ferramentas de automação de marketing, objetivamos, em conjunto com o nosso parceiro de tecnologia, maximizar o relacionamento, alcance e a taxas de conversões aos nossos conteúdos, produtos e/ou serviços na internet.

Canal da Peça: Acredita que a internet será o futuro das vendas?

Raphael Couto: A internet e todas as suas possibilidades têm contribuído com inúmeras transformações na sociedade em termos de relacionamento, comportamento, marketing, desenvolvimentos de novas tecnologias e também na economia, o que resultou em modelos de negócios online, por exemplo. Sem dúvida, os números de vendas via site comprovam a força do comércio eletrônico no mundo, portanto esta já é uma realidade do mercado e que tende a crescer ainda mais, mas que não exclui as vendas que continuarão sendo realizadas em lojas físicas. O importante, no entanto, é ter consciência de que na era digital é preciso estar muito atento às tendências para definir novas estratégias de comercialização que objetivam criar experiências excepcionais de compra aos lojistas, oficinas e ao consumidor.

Receba grátis por e-mail

Comentários

Author


Avatar