Notícias

A confiança que vem da internet

Pesquisa realizada pela empresa americana HubSpot aponta que os consumidores brasileiros confiam mais nas informações do Google do que na opinião de amigos e familiares. Saiba por que o digital, definitivamente, precisa fazer parte do plano estratégico da sua empresa

Pedir a opinião de amigos e familiares sobre determinado serviço ou produto já faz parte do passado. Hoje, com a tecnologia, em poucos cliques o consumidor consegue ter um panorama maior sobre o item que busca.

A internet já é sinônimo de credibilidade. Foi o que mostrou o estudo Evolução do Consumidor Digital – 2018, divulgado há pouco pela empresa americana HubSpot, especializada em marketing.

Segundo a análise, 51% dos consumidores afirmam ter mais confiança nas informações do Google do que na opinião de amigos e familiares (46%).

Número que comprova que hoje, indubitavelmente, a rede é a melhor vitrine para o seu negócio – independentemente do ramo de atuação. Ficar atento sobre a reputação da sua marca pode ajudá-lo a traçar melhores estratégias.

Realizado com 604 brasileiros, a pesquisa ainda aponta que 80% deles acreditam que as redes sociais têm um impacto positivo na sociedade.

+ Leia mais: O mercado quer investir em empresas que estão se digitalizando

Elas agem, sobretudo, como ferramentas fundamentais no processo de decisão de compra do seu cliente. Por isso, comercializando ou não pela web, é fundamental estar presente no cenário digital.

Silvio Laban, coordenador executivo de marketing do Insper. Foto: divulgação

Silvio Laban, coordenador executivo de marketing do Insper. Foto: divulgação


“A internet já é uma realidade e o empreendedor tem de se adaptar à tecnologia”, diz Silvio Laban, coordenador executivo de marketing do Insper.

Mas, se quiser ainda fazer parte do comércio eletrônico, há boas expectativas. “Muitos empresários e varejistas têm feito bons negócios na internet, representando até 25% de sua receita total”, afirma Laban.

Múltiplas plataformas

O fato é que se a sua empresa não estiver online, perderá mercado para quem está ativo em canais digitais. Outro dado que corrobora com o estudo da HubSpot vem da plataforma alemã Statista: as pessoas gastam, em média, 135 minutos por dia nas redes sociais – duas horas e 15 minutos!

+ Customer Experience: o cliente é o protagonista

E não é apenas compartilhando fotos, mas também se comunicando com empresas; descobrindo novos produtos e serviços.

De acordo com a pesquisa da HubSpot, as mídias sociais são fonte de novas descobertas e interações com marcas de diferentes segmentos.

Entre os canais preferidos dos consumidores, além do Google (72%), destacam-se o Facebook (56%), o YouTube (50%) e o Instagram (24%).

Imagem retirada do estudo Evolução do Consumidor Digital – 2018, da HubSpot


Um bom exemplo no setor automotivo é a empresa brasileira Nakata, fabricante de peças para o mercado de reposição. Apesar do público segmentado, sua página no Facebook soma mais de um milhão de seguidores, provando a força da rede social em qualquer área de operação.

“O dono do carro está mais interessado do que nunca em assuntos sobre peças e reparação. Ele quer saber como funciona para não ser enganado”, explica Sabrina Carbone, gerente de marketing da Nakata, sobre o número expressivo acumulado na rede social.
A atuação da companhia, no entanto, não para por aí. Com portal próprio para seus revendedores comercializarem virtualmente, criada pelo CWS, a Nakata sabe atender o atual consumidor, que trafega pelos universos online e offline.

Ela está disponível através do SAC, e-mail e também disponibiliza vídeos técnicos no YouTube, canais onde consegue interagir com diferentes perfis de clientes.

“O consumidor final está sedento por informação e quer participar do processo de compra do produto. Há cinco anos, 10% das vendas em lojas de autopeças eram para pessoas físicas. Hoje, já representa 45%. Nesse contexto, a internet tem sido uma ferramenta fundamental para pesquisa e compra”, acrescenta Carbone.

Conteúdo e bom atendimento

O estudo da HubSpot também faz um levantamento do tipo de conteúdo favorito dos consumidores brasileiros. Vídeos (45%), boletins informativos (40%) e imagens em redes sociais (34%) encabeçam a lista de preferência.

Quando questionados como preferem se envolver e aprender mais sobre determinada marca, 67% dos entrevistados vão ao site da empresa, enquanto 47% assistem vídeos e 42% curtem a página da companhia no Facebook.

Marcas que prestam bom atendimento, no entanto, são cada vez mais raras: 62% dos brasileiros afirmam que as empresas deixam de se preocupar com os clientes depois de eles terem comprado uma vez.

+ Veja também: As 10 piores decisões na jornada digital

Para Guilherme Pereira, diretor de inovação da Faculdade de Informática e Administração Paulista (FIAP), a tecnologia deve ser aliada de companhias que querem se sobressair no atendimento ao consumidor.

“As empresas vão ter que se adaptar ao nível de conexão e consciência que as tecnologias têm promovido para o público em geral”, afirma.

“A balança na relação empresa-consumidor se alterou e agora o usuário tem muito poder para fazer escolhas mais conscientes. O relacionamento e a comunicação com eles precisam refletir este novo paradigma”, opina.

E a sua marca, tem usado a tecnologia para atrair e fidelizar clientes? O CWS pode ajudar sua empresa a extrair todas as possibilidades do universo digital!

Receba grátis por e-mail

Comentários

Author


Avatar