Notícias

A caminho da digitalização

De olho nas transformações do varejo, o lojista Douglas Meireles, da Leves e Pesados, se prepara para avançar ainda mais no ambiente virtual. O estoque, com mais de 50 mil itens, em breve estará mais digital do que nunca

Em 2014, o varejista Douglas Meireles, da Leves e Pesados, em São Paulo, dava um passo importante rumo ao comércio eletrônico. Após conhecer a proposta do Canal da Peça, o comerciante sentiu que era hora de vender pela rede.

“O grande problema do e-commerce de peças sempre foi a informação. As montadoras e os fabricantes precisam estar mais alinhados e fornecer esses dados para as outras pontas da cadeia”, diz. “Por isso, quando conheci o Canal da Peça apostei na plataforma, pois nasceu para otimizar todo esse processo”, comenta Meireles, referindo-se à nossa parceria com a indústria.

O varejista, inclusive, chegou a participar do desenvolvimento do Canal da Peça. “Antes, era muito básico, mas sempre foi um projeto inovador. Hoje, quatro anos depois, o sistema está mais sofisticado e mais simples de manusear”, opina.

Atualmente, a Leves e Pesados opera, exclusivamente, através da nossa plataforma. Com loja personalizada e atuando no nosso marketplace, os planos de Meireles incluem novas estratégias digitais. “Confesso que nossa área virtual não está bem estruturada. No próximo semestre, certamente estaremos mais engajados no ambiente online e até, quem sabe, com e-commerce próprio”, comenta.

Fortalecimento na rede – e fora dela

Para crescer na internet, as estratégias adotadas pela Leves e Pesados serão baseadas no tripé fundamental do e-commerce: atualização constante do estoque, atuação nas redes sociais e divulgação da marca.

“Nos próximos meses, iremos trabalhar na internet com mais empenho. A transformação digital é inevitável em todos os setores, inclusive no de autopeças”, diz Meireles. “Queremos também colocar todo o nosso estoque, que já soma mais de 50 mil itens, na rede”.

Além disso, a divulgação ganhará reforço. “Vamos fortalecer nossas redes sociais, como o Facebook, e divulgar mais nosso canal de vendas online”. Recentemente, a Leves e Pesados ampliou seu espaço físico, que passou a ocupar quase dois mil metros quadrados na Avenida Itaquera, uma importante via da zona leste da cidade.

Douglas Meireles, da Leves e Pesados. Foto: Adriano Stofaleti

Douglas Meireles, da Leves e Pesados. Foto: Adriano Stofaleti


“Oferecemos, agora, centro automotivo para serviços rápidos, como troca de óleo e de pastilha, e uma loja de acessórios para carros e motos”, diz. “Vamos disponibilizar os mesmos produtos na internet”.

Setor mais digital

A investida da Leves e Pesados na internet reflete o interesse de grande parte dos lojistas no País. No estudo Panorama dos Marketplaces no Brasil Edição Abril 2017, criado pela Precifica em parceria com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), foi constatado que o número de varejistas ativos nos marketplaces crescera 15,3% naquele período.

Quer uma loja virtual também? Confira como é fácil!

O Canal da Peça já reúne mais de 500 varejistas de todos os estados brasileiros, que, juntos, somam quase um milhão de itens para veículos automotores (carros, motos, caminhões e motos). “Em cinco anos, quem não evoluir vai ficar para trás. As plataformas digitais fazem parte dessa evolução. É natural o varejo seguir esse caminho”, opina Meireles.

Romero Rodrigues, fundador do Buscapé e um dos principais nomes quando o assunto é digitalização, antecipa a previsão de Meireles. “A digitalização está acontecendo mais rápido do que as pessoas imaginam. Aquele catálogo antes cheio de graxa poderá ser consultado na própria oficina pelo celular. Acredito que em no máximo três anos, o mercado estará totalmente digital”, afirma.

+ Leia a entrevista completa de Romero Rodrigues sobre digitalização

“Hoje, cerca de 2/3 das consultas de produtos são feitas pelo celular. Mas muitas pesquisas ainda são convertidas em vendas no shopping. No entanto, a transação online vai acontecer em algum momento. Ferramentas como o Canal da Peça começam a ajudar a cadeia como um todo”, complementa Rodrigues.

A plataforma na prática

Atualmente, o gerente de vendas Hélio Pereira é o responsável pelo manuseio da loja no Canal da Peça. Sem dificuldade para operar a ferramenta, Pereira explica como é sua rotina de trabalho.

“Logo pela manhã, já abro o painel de controle e fico monitorando os pedidos. Quando entra algum, geramos o pedido, a nota fiscal e separamos o produto. Imprimo a etiqueta de envio, que já vem com os dados do comprador, e colamos na embalagem”, comenta Pereira.

Utilizando todas as formas de entrega da nossa plataforma, o Sedex ainda é o preferido dos clientes da Leves e Pesados. “Geralmente, quando o pedido vem da internet, a opção é via Correios. Mas já recebemos motoqueiros terceirizados do Canal da Peça para retirada de produto”, diz. “Para nós, é muito mais simples, pois a plataforma se encarrega do envio”.

+ Saiba mais sobre nossas opções de entrega

Nós temos parceria com a Rapiddo, empresa de entregas via motoqueiros. Em até 48 horas após o pedido, o produto é entregue ao destino final. Esse serviço abrange a Grande São Paulo, Campinas, Porto Alegre, Curitiba, Rio de Janeiro, Vitória, Belo Horizonte, Salvador, Recife e Fortaleza.

Hélio Pereira, da Leves e Pesados. Foto: Adriano Stofaleti

Hélio Pereira, da Leves e Pesados. Foto: Adriano Stofaleti


A Leves e Pesados também disponibiliza oito motoqueiros que entregam em um raio de até 10 km. Acima disso, o frete é cobrado. Porém, por fazer parte do Clube Canal da Peça, muitas vezes a entrega é gratuita para o cliente final.

“Por ser membro do Clube Canal da Peça também aproveitamos outros benefícios, como cupons de desconto e frete grátis. A vantagem é que o cliente consegue comprar pagando menos e, nós, recebemos integralmente. Além disso, muitos compram usando o frete grátis, o que traz mais clientes para a nossa loja”, afirma.

Essas campanhas são ativas com frequência pelos nossos parceiros, entre eles SKF, Nakata e MTE-Thomson. O objetivo é impulsionar os negócios de varejistas e distribuidores dessas marcas. Para o gerente de vendas, esses benefícios, de fato, ajudam.

“Percebo que quando é lançada uma campanha, principalmente a de desconto, aumenta o número de vendas. É excelente para nós”, opina Hélio Pereira, gerente de vendas da Leves e Pesados.
Nesse caso, a política que limita as compras é ativada. “Quando oferecemos produto com desconto ou se há pouco desse item em estoque, limitamos a quantidade por pedido”, avisa.

Comunicação mais tecnológica

Desde 1989 no comércio, Douglas Meireles cresceu em meio às peças. Fundada pelo pai, Pedro Meireles, até hoje o patriarca atua na administração do negócio familiar. Em quase 30 anos, o varejo teve muitas mudanças, incluindo a comunicação com os clientes.

“Há poucos anos, o Nextel era o aparelho do momento. Engraçado que hoje já morreu e outras ferramentas tomaram seu lugar”, diz. Uma delas é o WhatsApp, que também tem sido usado como canal de venda.

“O número de ligações tem caído muito por conta dessa ferramenta, que deixa mais fluida a conversa entre o vendedor e o consumidor, já que ele pode passar orçamento e fotos e, assim, fechar uma venda”, comenta.

+ WhatsApp: a nova forma de comunicação no varejo

“Além do aplicativo, usamos muito o Skype e o e-mail. Facilita muito a rotina dos mecânicos, que não têm tempo de ligar e nem de vir pessoalmente”, diz Meireles.

Mas ainda muitos clientes fazem questão de ir pessoalmente na Leves e Pesados. Por dia, passam por lá cerca de 300 pessoas. Sem contar as negociações feitas via telefone, e-mail e canais digitais. Questionado se a loja online poderá ter o mesmo sucesso da física, Meireles não descarta a possibilidade.

“Acho que, em alguns anos, as vendas ficarão mais bem divididas, representando 50% cada modelo. Assim como o modo de compra evolui, temos que nos adaptar. E é o que faremos”, diz.

Hélio Pereira compartilha da mesma opinião. “A atualização é necessária, pois em um futuro não tão distante, o balcão poderá virar um autoatendimento, como já ocorre nos bancos”, opina. E vai além.

“Todas essas mudanças são resultado da transformação digital e vão atingir todas as pontas da cadeia. A internet sempre fará parte do jogo”, comenta. Em época de Mundial, o trocadilho é bem-vindo: esperamos que o time completo do setor entre logo em campo.

Receba grátis por e-mail

Comentários

Author


Avatar